Telefone da Clínica(53) 3241.2200

Viver Perto de Rodovia Aumenta Risco de Doença Cardíaca

Estudos recentes mostram que viver perto de uma rodovia aumenta o risco de doenças cardiovasculares sendo tão prejudicial para o coração quanto o cigarro.

Estudos realizados por cientistas da Universidade de Brown ( EUA) e publicado no Jornal americano “Heart Association” , afirma que viver perto de uma Rodovia ( BR), é tão prejudicial para o coração quanto a obesidade e o cigarro, e podem pode aumentar o risco de ter hipertensão arterial, sendo considerado um dos problemas mais importantes de saúde pública, principalmente nos países desenvolvidos.

O primeiro estudo sugere que viver perto de uma rodovia está associado a um aumento do risco de morrer de morte súbita cardíaca, já o segundo estudo mostrou   que a proximidade com a rodovia está associada ao aumento da pressão arterial elevada. Ambos os estudos foram feitos com mulheres.
Num dos estudos foram investigadas cerca de mais de 107.000, mulheres brancas, com idade média de 60 anos, no período de 1986 à  2012.

Outro estudo analisou 5.400 mulheres (pós-menopausa) que viviam na área metropolitana da cidade norte-americana San Diego. O resultado revelou especificamente que aquelas mulheres que viviam a 100 m de uma BR ou Rodovia de grande fluxo tinham um risco de hipertensão arterial em torno de 22% a mais do que as mulheres que viviam pelo menos a 100 metros de distância deste tipo de vias.

Os pesquisadores acreditam que as partículas de poluição liberadas pelo tráfego dos veículos podem ser a causa destes problemas. O resultado da pesquisa mostrou que as mulheres que moravam a 50 metros de distância das Rodovias tiveram risco de 38% a mais quando compradas com outras que moravam a 500 m de distância destes locais.

A cada 100 m mais próximos da autoestrada o perigo aumenta 6%. O risco de morrer de doença cardíaca coronária também aumentou 24% para aquelas que vivem perto de uma estrada movimentada. A exposição do público às grandes rodovias é comparável aos principais fatores de risco por morte súbita cardíaca, segundo os pesquisadores.

Salvador - Bahia  Foto Gustavo Viegas

Salvador – Bahia Foto Gustavo Viegas

De acordo com o médico Jaime Hart, do Hospital Brigham and Women ( EUA), é necessário que os profissionais de saúde reconheçam que as exposições ambientais podem ser fatores de risco subestimados para doenças como a morte súbita cardíaca e a doença coronária fatal.

Os investigadores suspeitam que partículas finas de poluentes no ar são os culpados pelo efeito de rodovias sobre a saúde cardíaca, mas eles não sabem ao certo o que está causando o aumento da pressão arterial elevada ou morte cardíaca súbita.

O Instituto de Epidemiologia do Câncer de Copenhague também constatou em pesquisas que viver perto de uma Rodovia aumenta o risco de morte súbita pelo ruído do tráfico e poluição dos veículos, o que constatou aumento das doenças cardiovasculares como AVC e as respiratórias como a Asma.